Cambará do Sul

Cambará do
Sul

Ainda parte do passeio do feriado do Dia do Trabalho, depois de São Francisco de Paula pegamos a RS-20 e fomos a Cambará do Sul. Saímos de São Chico as 11:00 da manhã e em menos de uma hora chegamos em Cambará. A estrada é linda e super boa, uma viagem tranquila e sem sobressaltos.

  RS20

 

Assim que chegamos, paramos no escritório de turismo, na entrada da cidade, para pedirmos informações. Eu queria uma sugestão para o almoço e fomos muito bem atendidos. A sugestão foi o restaurante Casarão. Aproveitei para pedir dicas de passeio ao Parque Nacional dos Aparados da Serra, com crianças. Nossa idéia era visitar os cânions após o almoço.

 Restaurante Casarão

 

 

 

O restaurante foi ótimo, nós realmente gostamos muito. Eles têm duas opções de rodízio, um de trutas (maravilhoso) e um de galeto ao primo canto. As crianças
não pagam . Acompanha o rodízio um buffet de pratos quentes incluindo uma sopa de capeleti dos deuses e também um buffet de salada. Foi 100,00 para nós 4.

Centro de Cambará do Sul

 

 

Depois do almoço bem curtido, passeamos pela cidadezinha de Cambará, paramos na Casa do Mel, onde compramos mel de várias floradas diferentes, incluindo o mel branco que eu adoro.

De lá, seguimos pela estrada que leva ao Parque. São 18 km de estrada de chão, bem ruinzinha mesmo. Muitas pedras, pedregulhos e subidas e descidas que fazem o
curto trecho se tornar interminável. Chegando ao Parque, tudo muda. Após comprar os ingressos (18,00 para o casal, criança não paga), seguimos pela
estrada asfaltada até o estacionamento. De lá, uma caminhada curta leva até a sede do Parque onde tem guias bem simpáticos explicando tudinho que você
precisa saber sobre o parque e suas trilhas.

 Estrada de chão no caminho para o Parque

Como estávamos com as meninas, optamos por fazer a trilha mais curta e mais segura. A trilha do Vértice tem 1500m ao todo (ida e volta), não tem aclives nem
declives acentuados, mostra 30% do cânion e ainda tem uma cascata linda.

 Trilha do Vértice

 

 

 

 

Foi super tranquilo, as meninas toparam a mini aventura numa boa. Adoraram o fato de termos que atravessar uma mini corredeira (mini mesmo, com pedras como ponte) e também o “ataque” que eu sofri de borboletas no mirante da cascata véu de noiva. Não sei o que deu nas bichinhas, mas gostaram de pousar em mim!

 

Confesso que fiquei com gosto de quero mais. Voltaremos ao Parque sem as crianças para conhecermos outras trilhas e, com certeza, quando elas crescerem, vamos de novo também.

No caminho de volta compramos pinhão na estrada. 2 kg por 8 ,00 foi uma pechincha e o pinhão era novinho, uma delícia! Coincidiu de a Manoela estar estudando na escola sobre plantas e ela adorou ver ao vivo as tais gimnospermas e angiospermas que viu nos livros. O maior sucesso foram as araucárias e suas pinhas mesmo…

Lindo passeio que recomendamos muito!

Veja também os posts de São Francisco de Paula e o de Bento Gonçalves, partes do passeio.

Claudia Bins

Gerente de Projetos, Blogueira de Viagens, Escritora e Editora de Conteúdo, sou apaixonada por minha família, por viagens e livros, fotografia e marketing digital. Viciada em café!

Deixe um comentário:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*