Castelo de Chenonceau – Vale do Loire – França

Conhecido como o Castelo das damas, Chenonceau foi construído sobre pilotis, no meio do rio Cher. Sua construção inicial, bem mais simples iniciou no séc. XIII e pertenceu a família Marques. Mais tarde durante o reinado de Francis I, foi adquirido por Thomas Bohier e sua mulher Katherine Briçonnet com dinheiro desviado do reino. O rei Francis  e sua rainha Cláudia descobriram e tomaram a propriedade. A porta de entrada do castelo tem uma inscrição em latim: “FRANCISCUS DEI GRATIA FRANCORUM REX – CLAUDIA FRANCORUM REGINA” (“Francisco, pela graça de Deus, rei de França e Cláudia, rainha dos Franceses”).
Jardins de Diana
Mais tarde, durante o reinado de Henrique II, o castelo foi habitado por Diana de Poitiers, como presente do próprio rei, seu amante e admirador. Diana era 20 anos mais velha que Henrique mas segundo consta era uma mulher lindíssima, sendo a favorita do rei por muitos anos. Diana ampliou o castelo e mandou construir seu célebre jardim. 
Quarto de Diana
Henrique II morreu em um torneio, atingido por uma lança. Após a morte do rei, a rainha Catarina de Médicis tomou o castelo para si e expulsou Diana para outra propriedade, o castelo de Chaumont. Construiu outro jardim e fez no castelo festas fabulosas para sua corte e convidados. Além disso, como grande apreciadora das artes, construiu uma galeria no castelo.

Quarto de Catarina
Catarina passou o castelo a Louise de Lorraine, esposa de Henri III, que segundo dizem era gay e morreu assassinado não muito tempo depois. Inconsolável, a rainha Louise de recolhe em luto na propriedade e manda pintar seu quarto de negro, com motivos de luto e, desde então, só vestiu branco que era a cor do luto real naquela época.
Quarto de Louise
Em 1624 o castelo tornou-se propriedade do Duque de Vendôme, filho do rei Henrique IV. Henrique IV havia convidado sua favorita , Gabriela dÉstrées, mãe de seu filho legitimado César de Vendôme, a morar ali.
Depois de um tempo meio abandonado, o castelo passa a ser propriedade dos Dupin. Louise Dupin era apreciadora dos livros e o tutor de seu filho foi Jean-Jaques Rousseau. Era uma boa mulher e mantinha boas relações com os fazendeiros ao redor. Foi enterrada no parque da propriedade.
Em 1864 o castelo é comprado por Marguerite Pelouze que fez algumas modificações na construção, adaptando-a às necessidades da época.
Além do castelo e dos jardins, visite a Quinta e a Horta, que são imperdíveis. Além disso a Orangerie oferece uma cozinha requintada e saborosa para uma refeição. O terraço dá para o “Jardim Verde”. O salão de chá abre diariamente das 15:00 às 17:00. Um belíssimo passeio perto de Paris.
A Quinta
Para mais informações, conheça o site oficial do castelo clicando aqui.

Claudia Bins

Gerente de Projetos, Blogueira de Viagens, Escritora e Editora de Conteúdo, sou apaixonada por minha família, por viagens e livros, fotografia e marketing digital. Viciada em café!

Deixe um comentário:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*