De Anjo em Anjo – Finlândia

Eu já contei aqui que há alguns anos eu tive uma experiencia de estágio na Finlâdia. Dessa vez, contei para a Zero Hora, jornal do Rio Grande do Sul, como foi a minha experiência de ida para a Finlândia… uma verdadeira odisséia que resumi em um artigo que foi publicado dia 03 no caderno Viagem, coluna Histórias de Viagem.

Dessa vez foi só a ida, que já valeria um livro pois foi repleta de acontecimentos. Alguns deles não pude contar no artigo, pois havia um espaço limitado na coluna. Mas aqui eu posso contar :-)!

Conto então, que do aeroporto em Madrid até a estação de trem fui de carona, com um casal brasileiro muito simpático, por sinal. Na estação de trem onde conheci os meninos skatistas, deixei minhas malas com eles e fui passear, com outra brasileira, pois o trem partiria somente à noite. Logo na saída da estação nos deparamos com alguns escandinavos tomando banho só de cuecas na fonte do outro lado da rua(!)… cada coisa que a gente vê! Um deles veio atrás de nós falando coisas que a gente não entendeu, mas saímos correndo e quando paramos, já sem ele no nosso encalço, desatamos a rir sem parar.

Depois foi no trem, de Paris a Hamburgo na Alemanha. Era noite também, e eu dormi em uma cabine de segunda classe, lotada. Era assim, duas filerias de assentos, de frente uma para a outra. A gente puxa o assento para frente e eles se encostam, formando uma caminha. Mas para dar certo é preciso que a pessoa na sua frente fique para o lado, senão vocês não tem espaço suficiente. Resultado, dormi com um monte de gente estranha, tudo amontoado…E sabe como são os Europeus… banho que é bom, nada!

No Ferryboat que cruzou o mar do norte em direção a Dinamarca, conheci um bando de italianos, bem saidinhos… não foi fácil me livrar deles, mas consegui fazendo amizade com duas senhoras bem velinhas. Grudei nelas e assim os italianos pararam de me perseguir…

Na Suécia, quando finalmente fui dormir no albergue, demorei a pegar no sono, pois o movimento e o som do trem ainda estava na minha cabeça. No outro dia na estação do Ferry que cruzaria o mar báltico em direção a Finlândia, no saguão onde esperávamos para embarcar, tinha uma televisão que passava A Escrava Isaura, novela brasileira, dublado em sueco… coisa mais estranha!!! E o povo todo vidrado! Fora um casal que estava no maior love explícito, ali, em pleno saguão. Era mão em tudo que era lugar e o povo na volta nem aí.

Cheguei na minha cidade e, já estabelecida, escrevi uma carta gigante para meus pais (é ainda não tinha e-mail naquela época), contando tudinho o que passei. Colei mapa, fiz o roteiro, contei as histórias. Chorei escrevendo, de emoção e orgulho pela minha façanha… Depois eles me contaram que também se emocionaram muito lendo a carta.

Enfim, essa foi uma grande aventura, para alguém que nunca havia saído de Porto Alegre sozinha… depois disso, foi tudo muito fácil. Sair por esse mundão virou mania, quase necessidade. Quanto mais longe, mais diferente, mais feliz eu fico. E conto tudo aqui, combinado?

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui ou aqui.

Claudia Bins

Gerente de Projetos, Blogueira de Viagens, Escritora e Editora de Conteúdo, sou apaixonada por minha família, por viagens e livros, fotografia e marketing digital. Viciada em café!

2 Comments:

  1. Olá Claudia Lins (Cacau),Caríssima Miga NOSSA:
    Ótimo post,que de saudade me inudou,pacecida rota,fiz ,há alguns anos,intenso e inesquecível,viagem essa,amei post esse!
    Quanto ao comentário,referente a post último meu,(a minina da foto,amada netinha é LUANA!)verdade miga é um medo incrível que sentimos,com relação não só à crianças nossas,,mas TODAS DEL MONDO!Já estive em situaões terríveis,à beira mar drinks tomando junto com um grupo de "guerra contra os pedófilos,entre estrangeiros e brasileiros,crianças vendendo bala e corpos seus,e yo,peitando essa cachorrada,e os levando à delegacia,são organizados ,a´té blogs tem camuflados,independente dos anjos protetores de crianças essas,terrorista sou,até kamikaze,contra matilha essa!
    Te abraço,miga querida!

    Viva Vida!

  2. Eu gostaria de viajar pelos paises europeus, bem como os paises do extremo oriente, a história que eles tem: cruzada, revoluções, cultura antiga e etc…

    Acho lindo…

    Fique com Deus, menina Claudia Lins.
    Um abraço.

Deixe um comentário:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*